Operários da construção civil paralisaram suas atividades na manhã desta quinta-feira, (26/09). O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (STICCRMF) esteve presente ao canteiro de obras do Travertino Condomínio de Fátima, situado na Rua Assunção. A ação dos trabalhadores é uma resposta ao fato de um trabalhador ter sido suspenso de forma indevida pela direção da obra pertencente à construtora Mota Machado.

 

Segundo o relato dos trabalhadores, o funcionário foi suspenso por questionar sobre a ordem do fornecimento do almoço. O motivo da suspensão foi confirmado pelo coordenador geral do STICCRMF, Nestor Bezerra. “O trabalhador perguntou por que a comida não era servida primeiro para os trabalhadores, pois afinal são eles que constroem aquele prédio”, relata Nestor.

 Francisco Edineudo, operário e cipeiro da obra, relatou que o clima entre os trabalhadores é de indignação. Atos de grosseria e abuso de poder estão sendo comuns e partem até mesmo de engenheiros da obra. “O trabalho é um lugar sagrado. Como iremos ter um dia a dia produtivo em um local de trabalho onde somo mal tratados.”, explica Edineudo.

A atitude de paralisar a obra foi acompanhada de assembleia realizada pelo sindicato. No final da manhã ficou decidido:

– Retirada da suspensão atribuída ao operário

– Apresentação da folha de pagamento de todos os trabalhadores até o dia 27/9

– reunião com os profissionais para discutir produção

– Pagamento dos dias parados (compensado no dia 11)

 

– Alimentação, vestiário e banheiro com água quente